Cadê o crédito que estava aqui?

Cadê o crédito que estava aqui?

Com a saída repentina de cena, a empresa Waga, que operava o estacionamento rotativo pago em Mirassol – Zona Azul – acabou levantando uma questão bem delicada, que é o destino do crédito deixado pelos usuários. O assunto, que está circulando nas redes sociais, também chegou na Câmara de Vereadores que questionou a Prefeitura e a empresa sobre de quem é a responsabilidade na devolução dos créditos.

Por e-mail

Questionada, a Prefeitura informou que, como a rescisão contratual amigável partiu da empresa, o usuário que tiver créditos deve procurar a Waga. Este blog tentou contato com a empresa várias vezes, sem sucesso. Hoje, no entanto, eles responderam a uma mensagem deixada em seu Messenger — sobre como  reaver créditos comprados pelo aplicativo  –, afirmando que os usuários estão recebendo orientações de como realizar o procedimento, através de seus  e-mails cadastrados na empresa.

Sumido

Até esta segunda-feira, a Câmara de Mirassol ainda não havia conseguido encontrar o ex-prefeito André Vieira (PTB) para lhe entregar uma notificação comunicando sobre a rejeição da Prestação de Contas da Prefeitura de 2017, recomendada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP). A Câmara terá que decidir sobre rejeita ou acata a recomendação do TCE. Caso a notificação pessoal não seja possível, a Câmara o faria via Diário Oficial.

Trâmite

Segundo a Câmara, a votação do parecer do TCE referente ao exercício financeiro de 2017 deverá entrar na pauta até o próximo mês. Mas antes de disponibilizar o documento para o Plenário, o ex-prefeito André Vieira precisa ser notificado para que ele possa exercer o direito de defesa e contraditório, previstos pela Constituição Federal. Se os vereadores  votarem conforme o TCE recomendou, André Vieira pode ficar inelegível por oito anos.

Arquive-se

O promotor de justiça Hérico William Alves Destéfani, que havia aberto inquérito civil, em março, para apurar supostas irregularidades no convênio firmado entre o município de Mirassol e a Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus, de Jaci, em atendimento a uma representação feita pelo sindicalista Marcos Rogério Fanelli, arquivou na sexta-feira (16) o inquérito, após esclarecimentos das partes.

Arquive-se II

No entanto, o promotor advertiu a Prefeitura e o Lar São Francisco de que nos próximos planos de trabalho constem, expressamente, quais as especialidades médicas existentes; especificação de medicamentos e materiais hospitalares adquiridos com os recursos do convênio; detalhamento de todos os custos diretos e indiretos, em obediência ao art. 116 da Lei n.º 8.666/83, à Lei de Transparência e às instrução do Tribunal de Contas.

Tupan

Na sessão da Câmara desta segunda-feira foi revelado que o Tupan Clube de Mirassol está em uma situação crítica. Diante disso, os vereadores Walmir Chaveiro e João Paulo sondaram o prefeito Edson Ermenegildo sobre a possibilidade de  levar o projeto de educação complementar da Prefeitura de Mirassol para o Clube, através de convênio. Hoje o projeto funciona no prédio do antigo seminário. O prefeito teria achado a ideia válida.

Ex-vereador

Uma campanha solidária está correndo nas redes sociais pedindo ajuda financeira ao ex-vereador de Mirassol Dizão Oliveira que sofreu um acidente gravíssimo  de moto e se encontra em coma em casa, sem apresentar melhora ou piora.  A família tem que montar um quarto de hospital em casa e manter atendimento com médico e enfermeiras, e o custo disso, mais medicamentos, alimentação, sonda e fisioterapia, tem um custo muito alto. Para ajudar, deposite qualquer valor na conta corrente Santander  01023823-2 ou  conta Pix  CPF 388.190.718.19.

Miséria

O salário mínimo em 2022 será de R$ 1.147 e não terá aumento acima da inflação, anunciou o Ministério da Economia. O reajuste consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2022, enviado ao Congresso Nacional. O reajuste segue a projeção de 4,3% para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para este ano.

Manifestações

O Dia do trabalhador (1º de maio), que neste ano cai num sábado, poderá ser marcado por grandes manifestações contra o governo constituído. Dezenas demovimentos sociais, partidos políticos e entidades sindicais estão preparando manifestações em todo o Brasil pelo impeachment de Jair Bolsonaro, pela vacina e pela continuidade do auxílio emergencial de R$ 600.

Manifestações II

Difícil vai ser bolsonaristas contraporem as manifestações, considerando o irrisório salário mínimo proposto pelo seu mito – como visto nota acima -, as mortes recordes por Covid-19, falta de medicamentos para intubação, descaso do próprio Bolsonaro pela condução do governo na pandemia, além de denúncias de escândalos de membros da própria família e do governo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here