Chefe da AGU em Rio Preto é preso em Mirassol por violência doméstica

Durante uma discussão por ciúmes, ele teria chutado a perna da companheira

 O procurador-seccional da União em Rio Preto, José Roberto de Souza, foi preso em flagrante na noite desta terça-feira, 13, em Mirassol, por violência doméstica. O caso aconteceu dentro de um condomínio fechado onde o funcionário público federal mora com a companheira e o enteado, de 16 anos, que também figura como vítima.

Segundo informações da Polícia Civil, o casal se desentendeu após o procurador receber a visita da ex-mulher com a filha na portaria do condomínio. Souza afirma que a atual companheira tem muito ciúmes da criança, o que ensejou a confusão. Já a mulher alega que o procurador simplesmente retornou para casa nervoso e a agrediu.

Ao receber um chute na perna, a vítima, que é 23 anos mais nova que o companheiro, caiu e não conseguiu mais levantar. O filho dela, que estava dentro da residência, ouviu a briga e correu em defesa da mãe. O adolescente disse à polícia que, quando saiu, se deparou com Souza em cima dela. O garoto conseguiu segurar o padrasto até a chegada dos seguranças do condomínio, mas foi agredido com um soco no olho. Ele afirmou ainda ter sido ameaçado de morte.

O SAMU foi acionado e levou a mulher para a UPA da cidade, onde ela foi submetida a exame de raio-x que constatou fratura. Por esse motivo, vítima foi transferida para o Hospital de Base, para seria avaliada por um especialista.

O procurador foi conduzido para a delegacia de Mirassol e negou as agressões. O caso foi analisado pelo delegado Jairo Garcia Pereira, que decidiu prender o funcionário público em flagrante, sem direito a fiança. O boletim de ocorrência foi registrado como violência doméstica, lesão corporal e ameaça. Souza será submetido a audiência de custódia nesta quarta-feira, 14.

Em nota, a assessoria de imprensa da Advocacia-Geral da União informou que “Acerca do episódio envolvendo membro da Advocacia-Geral da União em Mirassol/SP, a AGU repudia veementemente qualquer ato de violência doméstica. O caso foi encaminhado para a Corregedoria-Geral da Advocacia da União, que irá abrir imediatamente um procedimento para investigar os fatos.”

*A Advocacia-Geral da União (AGU) é a instituição que, diretamente ou através de órgão vinculado, representa a União, judicial e extrajudicialmente, além de prestar consultoria e assessoramento jurídico do Poder Executivo. Nos diversos estados da Federação, a atuação da Advocacia-Geral da União se dá por intermédios de Procuradorias-Regionais, Procuradorias nos Estados, Procuradorias-Seccionais (cidades do interior) e Consultorias Jurídicas nos Estados.

Com Gazeta de Rio Preto

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here