Com alta da covid-19, Estado mantém fase amarela, que inclui a região de Rio Preto

O índice de ocupação de leitos de UTI na região de Rio Preto, crucial para um DRS avançar ou regredir no Plano SP, é de 60,7%

Estado dividido por Departamentos Regionais de Saúde (DRS); A partir da 14ª classificação, a região metropolitana e a capital foram reunificadas / Fonte: Governo de SP

O governo paulista anunciou hoje uma nova reclassificação do Plano SP, que coordena as medidas de abertura da economia em meio à pandemia de covid-19 no estado. Sem a presença do governador João Doria (PSBD) em entrevista coletiva realizada em São Paulo, coube ao secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, anunciar que três regiões regrediram para a fase laranja, enquanto a capital segue na amarela, mesmo com a alta de internações nas últimas semanas.

As regiões de Marília, Sorocaba e Registro passarão da fase amarela para a laranja, que prevê medidas mais restritivas. Já a região de Presidente Prudente, que estava na fase vermelha, progrediu para a laranja, totalizando quatro regiões.

A fase laranja havia sido extinta do plano de classificação e foi retomada em meio a uma reestruturação dos indicadores. Isso garantiu 90% da população do estado na fase amarela, incluindo a capital.

Segundo dados da Prefeitura de São Paulo, a cidade teve um aumento de quatro pontos percentuais na ocupação de UTIs apenas de anteontem para ontem, subindo de 61% para 65%, quando o “normal” considerado por técnicos é um aumento de apenas um ponto percentual por dia. No estado, de acordo com dados apresentados hoje pelo governo paulista, as novas internações diárias tiveram um aumento de 8,2% na média móvel da última semana epidemiológica.

No anúncio da reclassificação, Gorinchteyn admitiu que a pandemia vem demonstrando piora no estado e culpou a irresponsabilidade de parte da população em respeitar as medidas de prevenção à contaminação do novo coronavírus, principalmente na época de festas de fim de ano.

“A pandemia infelizmente recrudesceu. Por culpa de poucos que não respeitaram normas sanitárias e orientações da Saúde. Pessoas que se aglomeraram, não usaram máscara, festejaram de forma irresponsável e colocaram familiares e amigos em risco. A maioria da população colabora para o controle da pandemia”, afirmou o secretário estadual. O governo paulista prometeu uma nova reclassificação do Plano SP para 5 de  fevereiro.

Mudanças no Plano SP

Junto a com a reclassificação, o governo ainda anunciou mudanças nos critérios do plano para classificar as regiões e também alterações nas medidas restritivas de cada fase. Entre as principais, estão a permissão para funcionamento do comércio por oito horas diárias na fase laranja e dez horas na amarela.

Na amarela, o funcionamento de bares e restaurantes será permitido somente até as 20h, enquanto na laranja o setor pode funcionar apenas no sistema delivery e com retirada no local. Já todo o comércio deve fechar até as 20h na fase laranja. Quanto à ocupação de leitos de UTI, para uma região ser incluída na fase laranja, esse índice passou esse índice passou de 75% para 70%, demonstrando um endurecimento do plano.

Também haverá dificuldade maior para entrar na fase verde, considerando o índice de internações e mortes por 100 mil habitantes. As internações diárias nessa medição passaram de 40 para 30, enquanto os óbitos foram de cinco para apenas três por dia. Isso sempre considerando os dados dos últimos 14 dias.

O governo de São Paulo também apresentou mudanças em critérios do plano sobre indicadores de incidência da pandemia, com o objetivo de controlar melhor a evolução da pandemia no estado, como a variação para casos, mortes e internações.

Fonte: UOL Notícias

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here