Em meio a muita discussão e acusações de falta de palavra, os vereadores aprovaram os projetos do PPA – Plano Plurianual (2022-2025) e a LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias (2022) com seis emendas aditivas.

A emenda com votação mais esperada, que pretendia reduzir para 5% o limite da despesa fixada em seu respectivo orçamento, entre atividades e projetos de um mesmo programa e grupo de despesa, foi rejeitada pela maioria.

A rejeição dessa emenda foi uma vitória política do prefeito Edson Ermenegildo, que considerava que a redução desse porte “engessaria” a administração. Sem contar que daria poder de fogo aos vereadores da oposição já que o prefeito teria que se submeter a eles para conseguir os recursos.

Fábio Kunii, autor da emenda que causou polêmica na sessão

A tribuna da Câmara durante a sessão foi bastante movimentada, com discussões exacerbadas e acusações de falta de palavra, tendo em conta  que houve reuniões pré-sessão entre os vereadores que teriam conseguido maioria para a provação da emenda.

“Espero que vocês honrem com os votos, disse o vereador Fábio Kunii, principal autor do projeto que foi subscrito pelos colegas Daniel Sotto, Nando Nogueira e Walmir Chaveiro. É notório o quanto que o Executivo está influenciando a Câmara. Esta Casa de Leis está rachada por questões pessoais. Um atraso para Mirassol”, completou Kunii.

Cida Dias: “Me respeitem”

No final da sessão, a vereadora Cida Dias pediu a palavra e revelou que tentaram forçar seu voto favorável à emenda, apelando para o presidente do partido, o Republicanos. “Me respeitem, por favor. Esse voto é um protesto, de indignação por fazerem isso com minha pessoa”, desabafou. Ouve mais discussões e logo depois a sessão foi encerrada.

As emendas

As seis emendas aprovadas, três modificativas no PPA e três alterações na LDO, se referem à criação e Manutenção da Escola do Legislativo, a  Serviços e Implementação de Desempenho de Atividade Delegada, e à adição de recursos ao Departamento de Esportes.

Recesso legislativo

A Câmara de Mirassol entra em recesso legislativo a partir do dia 18 até 31 de julho. Durante esse período, o expediente das atividades administrativas continua para o balanço do primeiro semestre da nova legislatura e protocolo de documentos. Caso seja necessário, o Poder Executivo poderá convocar sessão extraordinária.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here