Com vocês… os pré-candidatos

Beto Feres é candidato a vice na chapa do Dr. Edson Ermenegildo / Foto: CMM

O entrevistado deste sábado (15) é o vereador Beto Feres (PL), 47 anos,  natural de natural de São José do Rio Preto (SP). Beto do Cartório, como é conhecido, foi o vereador mais votado na história da cidade, e presidiu a Câmara de Vereadores na legislatura passada.

Beto, o que o motiva a disputar a eleição para prefeito de Mirassol?

Beto Feres – Minha motivação é puramente ideológica. A política é para mim o meio de tentar melhorar nossa cidade. Eu tenho minha carreira profissional e não faço do cargo público um meio de vida. Acredito verdadeiramente que pessoas bem intencionadas devem disputar eleições e buscar transformar a realidade local.

Como estão as articulações para viabilizar sua candidatura? Com quantos e quais partidos você espera contar?

Beto Feres – Escuto e converso com pessoas dos mais variados espectros políticos. Ouço muito a opinião de políticos e pessoas apartidárias que têm ideias e sonhos para nossa cidade. Ainda não posso afirmar quantos ou quais partidos estarão ao nosso lado, mas a principal articulação de viabilização da candidatura se dá dentro do meu partido e com grupos de pessoas que querem contribuir para um projeto sério e bom para Mirassol.

Você já tem um vice para a chapa?  Qual será o perfil dele?

Beto Feres – Temos conversado com muitas pessoas e ainda não definimos a composição da chapa, mas posso adiantar que o perfil deve ser de alguém que tenha valores éticos elevados e que some com ideias e trabalho durante os quatro anos, caso sejamos eleitos.

Há dois rumores especulativos no meio político: um de que você possa compor a chapa com seu colega Marcão Alves, e outro com o médico Guilherme Pinto. Um deles é fato?

Beto Feres – São duas possibilidades entre muitas, e seria uma honra tê-los em nossa chapa, mas há também outras pessoas igualmente qualificadas que podem somar muito.

Quais as principais áreas da Administração você vê como prioridade na gestão pública do município?

Beto Feres – Não há como não dizer que atualmente a Saúde, a Educação e a Segurança não sejam prioritárias, mas não podemos deixar de lado outras áreas que devemos dar importância para melhorar a qualidade de vida dos nossos cidadãos, como infraestrutura, meio-ambiente, transporte público, entre tantas outras.

Quais os maiores problemas que Mirassol enfrenta atualmente, sem contar a pandemia?

Beto Feres – A infraestrutura merece mais atenção. Precisamos atrair investimentos para a cidade. A Educação tem que ser valorizada e a Saúde é essencial. Mas, o que podemos dizer é que precisamos de modernização e profissionalização de todos os serviços públicos, para que estes sejam muito eficazes, seja para o paciente do postinho, seja para quem precisa de um alvará do município ou para qualquer um que precisar dos serviços públicos municipais.

Como você espera se relacionar com a Câmara de Vereadores?

Beto Feres – Da maneira mais republicana, objetiva e transparente possível. Minha experiência como vereador mostra que seria muito importante que o prefeito ouvisse mais o Legislativo e que mantivesse sempre um canal de diálogo aberto.

É consenso que a Saúde continua sendo o “Calcanhar de Aquiles” das gestões públicas. Se eleito, o que você fará para melhorar o setor?

Beto Feres – Os serviços de saúde são o exemplo mais gritante da necessidade de melhorar a eficácia dos serviços públicos. Pretendemos informatizar, aprimorar processos, fazer parcerias e tudo que for possível para que nossa população seja atendida de maneira digna e eficiente.

Passando o quadro geral da pandemia do coronavírus, sem dúvida os novos prefeitos irão encontrar uma situação bastante crítica, como o desemprego e a consequente questão social, assim como a economia estagnada. Como você pretende lidar com essas questões?

Beto Feres – Sabemos da queda de arrecadação que já afeta as cidades e teremos que priorizar a Ação Social que se encarregará das situações extremamente delicadas e as ações governamentais que buscarão projetos para a instalação de comércios e empresas em nossa cidade, para gerar empregos e, consequentemente, renda para as famílias mirassolenses. 

De onde sairão os recursos para colocar em prática suas propostas?

Beto Feres – Sairão de um orçamento apertado, que dificilmente se concretizará; de verbas de deputados, senadores parceiros e do governo federal e estadual, através de projetos e, ainda, se for possível, buscaremos parcerias de empresas privadas e ONGs.

Qual é seu maior projeto (obra ou programa) para Mirassol?

Beto Feres – Não há um “projeto mágico” ou “obra faraônica” capaz de mudar a realidade de toda uma cidade. Podemos dizer que buscaremos implantar distritos industriais, buscaremos parcerias que qualifiquem nossa mão-de-obra, vamos cuidar da infraestrutura, tentar, junto com a Escola Técnica, concretizar um projeto de turismo sustentável para a Grota, o que classificaria nossa cidade como apta para receber mais recursos federais, entre outras coisas. Enfim, trabalharemos de maneira incansável para que nossa cidade esteja bem mais estruturada e preparada para o futuro.

Uma mensagem para a população

Beto Feres – Não posso deixar de agradecer meus eleitores que me propiciaram o mandato de vereador, no qual muito aprendi e gostaria de que pessoas comuns, como eu, que tenham ideais de ver nossa cidade melhor, busquem participar da vida pública, como político ou como cidadão, acompanhando o trabalho, cobrando os vereadores e o prefeito, para que possamos transformar nossa realidade, colocando Mirassol em lugar de destaque, como uma cidade mais justa, segura e que ofereça oportunidades para seus cidadãos e para suas gerações futuras.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here