A indústria  Cozimax em Mirassol, uma das maiores empresas empregadoras da região, está divulgando uma carta aberta à autoridades e população reconhecendo a necessidade de o município decretar lockdown, em conformidade com São José do Rio Preto e demais cidades da região que aderiram à medida para diminuir a contaminação pela Covid-19. Assinada por um de seus diretores, Jaime Fares, nela é relatada a situação na própria empresa. Confira:

Carta Aberta ao Senhor Prefeito, Senhores Vereadores e Comunidade Mirassolense

A Cozimax é hoje, com mais de 550 colaboradores, a maior empresa empregadora de Mirassol e uma das maiores de toda a região de São José do Rio Preto. Um dia da empresa parada, sem trabalhar, como hoje, é talvez o maior prejuízo diário entre as empresas de Mirassol, devido ao grande valor de nossa folha de pagamento. Por isso não somos, logicamente, a favor de um “lockdown” sem que haja real necessidade. Nesse momento de gravidade e mortes, com a saúde pública em colapso como nunca esteve em nossa região, julgamos necessário.

Ao longo dos últimos 11 meses de pandemia, até o final de fevereiro passado, tivemos em média 10 afastamentos mensais por Covid. Após investigar cada caso, concluímos que nunca havia ocorrido situação de contágio interno, certamente devido às boas práticas, cuidados com os colaboradores e medidas restritivas que impusemos. Esses contágios sempre se deram por meio externo, grande parte das vezes por familiares.

Mas em março deste ano, o número de afastamentos na empresa cresceu e, neste momento, estava em 36 colaboradores, sendo mais de 10 de um mesmo setor, sugerindo assim ter havido contaminação interna. Ao mesmo tempo em que os novos casos diários na cidade passaram de 20 para 55, segundo o próprio boletim municipal.

Concluímos que os cuidados internos precisariam ser ainda maiores, pois a variante atual se mostra muito mais transmissível. Sendo assim, concluímos também que não poderíamos seguir trabalhando, uma vez que não queremos contribuir com o sobrecarregamento do sistema de saúde.

Diante disso a parada se mostrou necessária apesar do grande prejuízo financeiro. Pôr em risco a vida de nossos colaboradores, familiares e comunidade é inadmissível, ainda mais porque Mirassol, pelo que sabemos, não tem estrutura hospitalar nenhuma para casos de doenças que se agravam incluindo a covid-19, e, principalmente, porque não há mais vagas disponíveis para caso graves de Covid em toda região.

Como todos os mirassolenses, independentemente de terem plano de saúde ou não, dependem, em doenças que se agravam, do atendimento de Rio Preto, não faz o menor sentido para nós Mirassol não aderirmos ao lockdown regional em vigor a partir de hoje.

Será mais uma vergonha para o mirassolense precisar dos serviços de saúde de Rio Preto enquanto Prefeito e Vereadores de Mirassol não se mobilizaram e não estão alinhados com a Divisão Regional de Saúde, pois seremos mal vistos e indesejados caso precisemos recorrer aos hospitais de lá.

Sabemos que há pressão para que o Senhor Prefeito mantenha Mirassol fora do lockdown, mas é necessário a coragem e atitude de líderes que olhem para o bem de toda a comunidade e, principalmente, dos mais necessitados, não cedendo a atender desejos específicos de parte da sociedade.

Senhor Prefeito, Senhores Vereadores e Comunidade: caso estejamos equivocados e diariamente vários cidadãos mirassolenses não precisem ir desesperadamente para Rio Preto valer-se da estrutura regional de saúde, desconsiderem esta carta. Caso contrário, Senhores Políticos, vocês foram escolhidos por nós para promover o desenvolvimento do município, são responsáveis por garantir assistência à saúde da população e precisam fazer o mínimo para que não sejam responsabilizados por eventuais mortes que poderiam ser evitadas.

Jamil Fares – Diretor

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here