Empurra-empurra

Em Mirassol, reportagem da TS Rádio detectou que há casos positivos de Covid-19 nas escolas privadas e estaduais mas as autoridades da Educação e da Saúde não divulgam a quantidade nem os estabelecimentos onde ocorreram, empurrando uns para os outros a responsabilidade. Em off, temendo represálias, professores e diretores confirmaram as ocorrências.

Empurra II

Este blog também tentou ouvir os envolvidos e a resposta do departamento de Educação, via assessoria, foi a de que as escolas estaduais e particulares de ensino fundamental e médio respondem à Diretoria Regional de Ensino de José Bonifácio. Já o departamento de Saúde informou que os casos chegam com o nome do paciente e não é indicada sua origem, ou seja, se vieram das escolas, e que a fiscalização dos protocolos sanitários nas instituições de ensino, públicas ou privadas, é de responsabilidade dos gestores.

Empurra III

Este blog entende que, diante das respostas acima, tem-se a impressão de que a volta presencial às aulas, mesmo que parcial ou híbrida, está desassistida, posto que parece não haver controle ou transparência das autoridades sobre os casos, portanto sem medidas pontuais nos estabelecimentos educacionais. Com isso, essas  questões continuam aguardando respostas: quantos alunos da rede estadual e privada estão ou foram infectados? Há diretores, professores ou funcionários infectados ou com suspeitas? Em quais escolas os casos ocorreram? Que medidas estão sendo tomadas?

Sem casos

A diretora do departamento de Educação, Luzia de Fátima Paula, disse que a rede municipal segue cumprindo todas normas de higienização e funcionando com 35% da capacidade com os alunos dos 5ºs anos, e não houve nenhum caso de Covid-19 até agora registrado na rede.

Live da RM

O professor Adriano Nascimento, ativista social e presidente do PSOL de Mirassol, marcou uma live para esta segunda-feira (01) com o vereador de Rio Preto João Paulo Rillo (PSOL) sobre a criação da Região Metropolitana. Quando deputado estadual, Rillo teve aprovado seu projeto de lei na Assembleia Legislativa de São Paulo  para a criação da RM, mas a mesma foi vetada pelo então governador Geraldo Alckmin. A live será a partir das 20h, no facebook, na página @euadrianonascimento50. Não perca!

Sem eficácia

O Ministério da Saúde assinou, na tarde de ontem (25), contrato para compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin junto à Precisa Medicamentos, representante do laboratório indiano Bharat Biotech no Brasil, em acordo que prevê entregas escalonadas entre os meses de março e maio, informa a CNN. O imunizante ainda está aguardando autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para realizar os estudos clínicos da fase 3 no Brasil, e ainda não tem eficácia comprovada para aplicação de doses no país.

Sem aval

O Plenário virtual do Supremo Tribunal Federal formou maioria nesta terça-feira (23) para manter a decisão do ministro Ricardo Lewandowski que permitiu a estados e municípios a aquisição de vacinas internacionais que já obtiveram a aprovação de entidades sanitárias de renome, mesmo que ainda não registradas pela Anvisa. Pouco após a decisão, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), declarou que o estado importará “3 milhões de doses de vacinas, imediatamente, de todos os laboratórios em que for possível”.

Vacinação

Conselhos de saúde ouvidos pela CNN defendem vacina prioritária para além da linha de frente no Brasil. O país aplicou mais de sete milhões de doses da vacina contra a Covid-19 após cerca de um mês de campanha de imunização, tendo como grupos prioritários profissionais de saúde, idosos e populações tradicionais. Dentro do campo da saúde, que reúne diversas especialidades, há controvérsia sobre qual deve ser a abrangência dessa prioridade.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here