Sindicatos, entidades estudantis, organizações de todo tipo e até torcidas organizadas amanheceram neste sábado (29) fazendo protestos por todo o país contra o governo Bolsonaro. É o ato “#29M”, desta vez presencial, com manifestações de rua praticamente em todas as unidades da federação.

Em Mirassol, os movimentos Juntas Mirassol, Frente Mirassol Sem Medo e o PSOL também engrossaram as manifestações. Às 16h de hoje esses grupos se juntarão a dezenas de organizações em Rio Preto para protestar.

As mais de 100 organizações reunidas nas frentes Brasil Popular e Povo sem Medo que convocaram os atos estão chamaram a atenção para medidas de precaução para evitar riscos de contágio pelo coronavírus.

Com vários itens, a pauta do chamado #29M tem como palavra de ordem o “fora Bolsonaro”. Os manifestantes defendem ainda o auxílio emergencial de R$ 600 (tema de ato organizado por centrais sindicais e movimentos em Brasília na quarta-feira) e vacinação em massa. Também apoiam os trabalhos da CPI da Covid no Senado.

A agenda inclui protestos contra o desemprego, cortes de verbas na educação, privatizações – especialmente da Eletrobras – e a “reforma” administrativa.

“Neste 29 de Maio a classe trabalhadora vai às ruas em protesto contra o desastre que tem sido o governo Bolsonaro na gestão da pandemia. Não é desejo de ninguém que tenha consciência da gravidade do momento de pandemia que as pessoas vá as ruas, no entanto, é justamente pela gravidade deste momento e de todo descaso com o qual o povo trabalhador foi tratado, que temos que nos mobilizar para exigir vacina para todos, comida no prato e impeachment já! Neste momento de luta pela vida e pela possibilidade de um futuro mais digno, a mobilização se tornou essencial”, disse Adriano Nascimento, ativista político e presidente do Psol de Mirassol.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here