Minimuseu de Arte Naïf de Paraty abre as portas para o público

Três artistas da região de Rio Preto participam com doação de obras permanentes

Jair Lemos, de Mirassol, e Orlando Fuzinelli e Rodrigo Silva, de Rio Preto, representam a região no novo museu/Facebook

Encravado no centro histórico de Paraty (RJ), o Minimuseu de Arte Naïf de Paraty (Miman), idealizado pelo artista naïf André Cunha, foi inaugurado no último sábado (20), com presenças de artistas de todas as partes do Brasil, além de convidados e autoridades. Da região, Orlando Fuzinelli e Rodrigo Silva, ambos de Rio Preto, e Jair Lemos, de Mirassol,  foram selecionados e doaram cada um uma obra para marcar a consolidação do museu.

Jair Lemos, que participou presencialmente da inauguração, disse que o Miman vem para ajudar a consolidar a arte naïf no Brasil, ao abrigar um acervo de tantos artistas. “É sem dúvida um marco. É disso que a nossa arte necessita, de reconhecimento e divulgação. E como Paraty é uma rota turística internacionalmente conhecida, o Miman divulgará boa parte dos artistas brasileiros que também buscam reconhecimento”, comentou. “Também fico feliz de estar junto com dois amigos daqui, o Fuzinelli e o Rodrigo”, completou.

“O Benzedor de Cobras”, de Jair Lemos; “O Iluminado”, de Orlando Fuzinelli, e “A Rodovia”, de Rodrigo Silva, são as obras selecionadas para o acervo permanente do Miman em Paraty / Arquivos pessoais

O Miman nasceu com a proposta de enriquecer ainda mais a cidade detentora do título de Patrimônio da Humanidade da UNESCO. Ele foi instalado no mezanino da Galeria da qual André Cunha é fundador, juntamente com o sócio Pedro Cruz Lima.

O museu passa a abrigar um acervo permanente formado por obras de menores formatos de 122 artistas naïfs das cinco regiões do país, entre nomes consagrados e recém-chegados, provenientes de coleções particulares e de doações.

Todas as telas passaram pela análise e filtro da equipe de curadores experientes no assunto como Jacqueline Finkelstein, museóloga e diretora do MIAN (Museu Internacional de Arte Naif do Brasil, RJ); Augusto Luitgards, doutor em Linguística Aplicada e especialista em História da Arte; e Pedro Cruz Lima, publicitário e artista plástico.

“Pretendemos estabelecer contato direto de visitantes nacionais e estrangeiros com uma extensa gama de artistas naïfs brasileiros, estreitando os laços entre público e artistas”, afirma André Cunha, que pretende realizar projetos de formação de novos artistas locais, estabelecendo forte vínculo com a comunidade.

O Miman ficará aberto gratuitamente ao público e às escolas da região, e projetos de educação e arte estão sendo conversados com as Secretarias de Educação e de Cultura de Paraty. “A ideia é levar a arte naïf para outros locais da cidade, entrando para o calendário de eventos de Paraty”, disse Pedro Cruz.

O Minimuseu de Arte Naïf de Paraty (Miman) está localizado à rua do Comércio, 377 – Centro Histórico de Paraty. Visitas com agendamento. A entrada franca aos visitantes e escolas da região.

Mostra paralela

No mesmo espaço do Minimuseu de Paraty, Jair Lemos também participa da 2ª Mostra de Arte Naif na Literatura, com participação de 120 artistas selecionadas de todo Brasil. O tema deste ano foi “Mulheres da Literatura/Um Poema Naïf”. Lemos foi selecionado com o tema “Orgulho e Preconceito”, da obra homônima de Jane Austen. Esta exposição é temporária.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here